quarta-feira, 25 de julho de 2012

Polícia Civil de Timbó recebe laudo sobre a causa da morte da adolescente Ariana Arndt


O inquérito policial deverá ser concluído na próxima semana

Oito dias após o Corpo de Bombeiros ter encontrado o corpo de Ariana Donato Arndt, 16 anos, no Rio Benedito, em Timbó, o Instituto Geral de Perícias (IGP) de Blumenau finalizou a análise que indicaria a causa da morte da garota. Segundo o IGP, a adolescente morreu por afogamento. O documento foi entregue para a Polícia Civil de Timbó na manhã de terça-feira. O inquérito policial deverá ser concluído na próxima semana. 

Apesar da análise apontar que a garota se afogou, a delegada responsável pelo caso, Stela Maris Antunes da Rosa, avalia que a causa da morte foi inconclusiva. Stela afirma ainda que não houve como precisar se havia lesões no corpo por causa do estado avançado de putrefação.  

_ O médico legista sugeriu que seja feita uma investigação mais minuciosa do caso, mas não há a necessidade de pedir uma nova análise. Até porque o corpo está muito deteriorado _ relata a delegada.  

Atualmente, a polícia está concluindo os depoimentos e aguardando uma prova pericial que foi enviada para o IGP. Assim que o resultado da perícia chegar, o inquérito será concluído e enviado ao Fórum. 

Para Stela, ainda não é possível dizer o que ocorreu no dia 22 de junho, quando a garota saiu para ir à escola e foi vista pela última vez: 

_ Com o término do inquérito, os depoimentos e outras provas, podemos imaginar o que ocorreu naquela noite. Mas determinar o que realmente aconteceu, só se o indiciado (suspeito do crime) falar alguma coisa.

Por enquanto, o namorado de Ariana, Johny Karsten, 22 anos, que está no Presídio Regional de Blumenau desde o dia 16, sob prisão preventiva, é o único suspeito de ter cometido o crime, de acordo com a delegada. Ela acredita ser improvável que Ariana tenha cometido suicídio ou que tenha se afogado sozinha. 

Na última quinta-feira, o advogado de Karsten, Reny Becker Filho, protocolou um pedido de habeas corpus para que o jovem fique em liberdade durante a investigação. O Santatentou contato com Becker durante a tarde e início da noite de terça-feira, mas o advogado não retornou às ligações da reportagem. 
Fonte JORNAL DE SANTA CATARINA