sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A oposição com coerência

Em quase todo o segmento de trabalho, seja ele na vida pública ou na vida privada, temos pessoas que não aceitam uma posição tomada, onde atinge outras vidas.
Na vida pública, o problema é ainda maior, pois você toma uma decisão e logo pode atingir centenas ou até milhares de pessoas. Mas é para isso que temos sempre a oposição. O lado oposto do que você acha, do que você pensa estar correto.
Enquanto a oposição é sadia, quero dizer, que a oposição tem embasamento no que fala, sabe realmente que o que está dizendo, ela se torna sadia. Você ouve, repensa e muitas vezes voltam atrás, ou corrige o que está talvez incorreto.
Mas como é comum, a oposição “cega”, ela atrapalha e muito o desenvolvimento de um projeto político, de uma ótima ideia. Um belo exemplo é com relação a Biblioteca Pública que foi implantada pelo atual governo rodeense de Paulo Roberto Weiss. Uma biblioteca que antes ficava escondida e muitas vezes fechada, foi transferida para a Vila Italiana, onde antes era o café colonial, na fervorosa época da popular festa La Sagra, chegou a ser criticada por uma algumas pessoas que, creio eu, estavam com os olhos vendados. Em um comentário na página da Rádio Trentina FM, um munícipe chegou a dizer que a biblioteca pública seria mais um tiro na água, “dinheiro jogado  fora” inclusive.
Hoje a biblioteca tem mais de 180 carteirinhas registradas e a sala de informática (Telecentro), recebe diariamente muitas pessoas. Quem não passou por uma biblioteca pública? Quem me dera ter, em nossa época de juventude, uma biblioteca com acesso a internet, para poder aprimorar nossos conhecimentos? O que restava para nós eram os velhos livros emprestados ou colocar as chuteiras e jogar com as famosas bolas de pano.
Quem faz um comentário como o da biblioteca pública, no mínimo não lê um livro sequer, não sabe o que é voar nas asas da imaginação.
Mas também há outros tipos de oposição, que realmente chegam ao extremo quando jogam nas mídias, dados da atual administração que são sem fundamento, que mostram a voracidade de denegrir o executivo, levando a população a acreditar no que está sendo dito.

Felizmente as mentiras têm pernas curtas, e sempre são levadas ao descrédito com papéis fundamentados.