sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Rodeense lança livro baseado em história de sua filha


Rosana Tolentino Venturi, 54 anos, natural de Itajai, mas residente em Rodeio a mais de 30 anos, é uma destas mulheres que encontra nas dificuldades, o prazer de viver em harmonia.
Ela, que a 10 anos trabalha na Farmacia da família, é formada em Estudos Sociais pela UNIVALI de Itajai, casada com Lourival A. Venturi e tem Bianca, Davi e Bárbara como filhos, resolveu escrever um livro baseado na história de sua filha especial, Bianca Maressa Tolentino Venturi, que tem o carinhoso apelido de BIBI.
Rosana foi professora durante 21 anos, o que ajudou muito na elaboração deste belo projeto.
O nome do livro? O nome tem um só objetivo, dizer que nada é impossível nesta vida - “QUANDO O IMPOSSÍVEL É POSSÍVEL”, será lançado na noite desta sexta-feira dia 28, no Restaurante Adesso Cucina Moser em Rodeio.
O Alternativo entrevistou Rosana, que contou um pouco desta experiêcia:

Alternativo: Qual o motivo para escrever o livro?
Rosana: Desde que nossa primeira filha nasceu, começamos a vivenciar uma dura , mas maravilhosa história de vida. Nossa menina nasceu portadora de Disfunção Cerebral Minima. Foi muito difícil no começo, mas a partir do momento que resolvemos aceitar e lutar por ela, passamos a ver a vida de uma forma diferente. Desde o começo, escrevia muito, procurava relatar tudo o que se referia a ela, as vitorias e também os fracassos. Achei que seria importante que outras pessoas tivessem acesso a estes relatos, para que pudessem aceitar melhor os problemas que poderiam ter seus filhos especiais. A principio foi sómente nos pais e familiares de especiais que quis alcançar. Mais tarde achei que poderia servir também para educadores, especialistas em educação especial, amigos, enfim, qualquer pessoa pode ler e com certeza melhorar sua visão da vida.Tudo em nossas vidas valeu a pena.

Alternativo: Qual a sensação de colocar em palavras o que passou pela sua vida e de sua família? Houve apoio de alguém para redigir o livro?
R: Desde o inicio meu sonho foi relatar nossa experiência de família,  principalmente da utilização da arte como meio de terapia para crianças especiais, mas quando comecei a escrever foi necessária muita pesquisa em livros e revistas  ligadas a educação,  em sites específicos em educação especial e atualização jurídica e, principalmente em relatos obtidos com famílias de portadores de necessidades especiais. Foram os laudos médicos que despertavam em nós toda uma expectativa para possíveis vitórias e também a reação das pessoas em nossa volta, seja família, amigos ou simplesmente conhecidos. É importante salientar que ainda existe muita escassez de bibliografia, mesmo numa época em que se fala tanto em inclusão escolar, social e digital. Demorei três anos para terminar meu livro, talvez  porque este tempo foi necessário para que eu pudesse me inteirar ainda mais sobre um assunto tão importante para a sociedade. O livro foi um sonho meu e apoiado por  minha família, por isso todo o projeto foi realizado com recursos nossos. A primeira tiragem foi de 500 cópias. O Livro poderá ser adquirido em Rodeio na Livraria e papelaria SOS e em outros locais. Vão estar também a disposição em Livrarias de outras cidades, e também em bibliotecas virtuais.

Alternativo: Conte em poucas palavras o que o leitor poderá encontrar no livro, que fará refletir um pouco sua vida.
Acho que todas as pessoas devem procurar a beleza do ser diferente. Não existe um ser humano igual ao outro, mas mesmo assim, a sociedade impõe padrões. Normalmente os portadores de necessidades especiais, sejam elas físicas ou mentais, não são discriminativos, olham o mundo com a alma, para eles tudo é bom, tudo é bonito. Sua pureza faz com que vivam em total harmonia, sem medo, sem preconceitos. Temos muito a aprender com eles. Com a Bibi, aprendemos (minha família e eu) todos os dias. Ela demonstra seu carinho, seu amor de uma forma grandiosa.
Quando nascem, os bebes especiais, são diagnosticados e normalmente os médicos já nos dão uma previsão  daquilo que eles serão capazes de fazer, o que normalmente é muito pouco. Na verdade, meu livro procura mostrar o quanto eles são capazes de se  desenvolver, cada um de maneiras diferentes, dentro de seu potencial.
Escrever um livro, para mim, não foi uma aventura e sim uma necessidade de dar continuidade a um presente que Deus nos deu, foi mostrar que, quando a Bibi nasceu, tínhamos duas alternativas: esconder ou aceitar. Escolhemos aceitar e enfrentar as advercidades que apareceriam com este presente.

Alternativo: O livro poderá servir de aprendizado para outras pessoas? Como?
Meu livro se destina a todos os familiares de portadores de necessidades especiais, aos cuidadores de crianças, doentes, idosos, a diretores e professores de escolas de ensino regular e de ensino especial, como APAEs. Procurei dar uma forma direta e capaz de lidar com as diferenças, contribuindo para a formação de uma nova visão de vida.
Agora com quase trinta e um anos, a Bibi já alcançou uma plenitude em sua formação, seu desenvolvimento alcançou um nível de maturidade mais do que satisfatório. Todo o seu tratamento valeu a pena, e ainda vai ter continuidade. Todos os dias ela cresce ainda mais. Quando tinha quatro anos, a previsão para a sua vida é que não poderia se alfabetizar, teria dificuldades de coordenação motora, provavelmente não se sociabilizaria. Hoje ela esta alfabetizada, lida com tranqüilidade com computadores, aprendeu a bordar, a pintar em tela e em tecido, trabalha com decoupagem, adora escrever mensagens, esta totalmente integrada na farmácia, onde realiza pequenos trabalhos supervisionados, e o mais importante, criou um nível de amizade com a maioria das pessoas que ali passam.